Bandeiras dos Palop

Bandeiras dos Palop

A TROIKA LUSITANA

Respeitada e entendida por muitos portugueses, mas odiada por muitos mais, a troika aí está! Põe, dispõe, investiga, certifica-se, analisa, crítica e aponta caminhos que o governo e o Povo têem de seguir. Exige também sacrifícios, e muitos, a um povo já pressionado pelo desemprego, baixos salários, etc.

A verdade, é que todos sentimos este peso enorme, que parece sufocar o país e o Seu Povo! Mas, é desta forma que nós vamos recuperar o estatuto de país credível, diz o governo. E todos sabemos que não é verdade e que, daqui por mais meia dúzia de anos, tudo estará na mesma ou pior, mas com algumas diferenças importantes:
o IVA e IRS e outros impostos, não andarão para trás e os preços muito menos. Os bens essenciais de consumo serão cada vez mais caros e os portugueses, parece, terão cada vez menos dinheiro na carteira. Uma espécie de SINA lusitana do tipo persistente!

E a troika...? Irá embora logo que as coisas estejam encaminhadas e as dívidas a ser pagas, mas também todos sabemos que logo imediatamente a seguir, vai começar o regabofe e desvario, do governo então em funções. E não interessa a cor,    porque todos são iguais na maneira confrangedora (esbanjadora, leia-se) como administram o dinheiro dos impostos de todos nós. Triste sina!

Mas afinal, pergunto: porque não existe uma troika de portugueses, que pode ser troika ou muito mais que isso e que controle PERMANENTEMENTE as despesas e desvarios do Estado?

Uma comissão de guardiões da Nação, composta por antigos presidentes da república, militares de topo, intelectuais de renome e empresários de mérito, que aprenderam com a vida a arte de BEM governar?
É para estas coisas que existe o referendo ao povo!
Uma Comissão de Guardiões, que poderia substituir o Conselho de Estado, mas com poder executivo e de controlo directo e permanente do governo, com poderes para demitir, quando a situação politico/económica assim o determinasse. Guardiões do Estado, não remunerados, mas nomeados pela sua integridade moral e pública! Pode parecer, mas não é impossível.

Esta troika portuguesa, teria como missão observar atentamente os actos dos governos, chamar a atenção em tempo devido e actuar em tempo útil!
Assim, talvez não fosse necessário passar por tanto sacrifício. Controlo! E são portugueses de verdadeira gema que devem faze-lo. É talvez uma vergonha bastante pesada, virem os outros dizer aos nossos governos o que fazer! Mas pode estar nas nossas mãos mudar este destino.

Afinal, Portugal, já teve ideias próprias (não precisaram vir de fora) há muitos, muitos anos... e funcionaram. Reviraram os olhos ao Mundo com tanta coragem, determinação e ousadia.
Talvez que outros países com a mesma sina, ousassem seguir os nossos passos. Ás vezes, as ideias germinam, ganham asas e voam, voam... até pousar no sítio certo. Quem sabe...