Bandeiras dos Palop

Bandeiras dos Palop

Portugal, Salazar e a Segunda Guerra Mundial - 3


Espionagem e hoteis de luxo


Lisboa
Pelas razões apontadas anteriormente, Portugal tinha-se transformado numa placa giratória de extrema importância para a fuga de refugiados de todas as condições, incluindo o arménio Calouste Gulbenkian que permaneceu no país e deixou um legado valiosíssimo, mas também um autêntico viveiro de luxo de serviços secretos de todo o mundo.
Com a sua política meticulosamente trabalhada, Salazar e o seu governo, não interferiam muito nas actividades clandestinas quer de ingleses, quer de alemães. Para este estadista português, era preferível acompanhar de perto os desenvolvimentos da guerra e ir assumindo posições de acordo com os resultados da mesma, ou seja, inclinar para o lado alemão enquanto a Alemanha ganhava, inclinar para o lado inglês, quando os Aliados ganhavam. Entretanto a PVDE, precursora da PIDE, ia acompanhando os desenvolvimentos, nomeadamente entradas clandestinas nas fronteiras de mar e terra.



Hotel Monte Estoril
Ao longo de todo o período da guerra, foram passando por Lisboa milionários, actores, escritores, reis e rainhas de todos os cantos da Europa. Frank Sinatra, Ava Gardner, Maria Callas, o Rei Humberto de Itália entre outros, conviveram com espiões de diversas origens, nas sumptuosas salas de estar e bares dos melhores e mais requintados hoteis e casinos de Lisboa, Cascais e Estoril, provavelmente sem se aperceberem que, muitas vezes, o motivo das conversas nada tinha a ver com o que se estava a dizer...conversas de espiões, que liam nas entrelinhas.

Navio Gil Eanes
Mas porque histórias de serviços secretos, não têem fim, sempre recordarei que a espionagem alemã, terá andado nos lugres da pesca do bacalhau juntamente com pescadores portugueses que trabalhavam no então navio bacalhoeiro Gil Eanes, hoje transformado em museu, na cidade de Viana do Castelo. Se quiser saber mais..., vale a pena.

Portugal, Salazar e a Segunda Guerra Mundial - 2





Refugiados polacos fugindo de nazis e soviéticos
A Rota dos refugiados e espiões.
Quando em 1939 o exército alemão invadiu a Polónia, para satisfazer a vontade expansionista de Hitler, que entretanto assinara com a URSS o Pacto Molotov-Ribbentrop, desencadeou um temor horrível em toda a Europa. Não estando sozinho nesta ânsia expansiva, o pacto tinha sido assinado com o objectivo de dividir a Polónia em duas partes: uma seria para a Alemanha e a outra, para a URSS, como veio a acontecer.
Invasão da França

Apenas 21 anos depois da primeira grande guerra ter